11 de maio de 2012

Resposta Final


Comecei com a palavra
Insignificante
E me pus a cortar pedaços,
um a um,
desnudando signos,
casulos de mensagens.
Do primeiro corte, restou:
Significante
O que esta palavra diria a mim,
alma de muitos mistérios
de muitos silêncios
repleta de antigos baús?
Alma que resiste a perguntas-faróis,
espadas a decepar
pedaços-subterfúgios, disfarces.
Cai mais um que insistia em esconder:
Cante
É uma ordem? A que devo cantar?
No final saberia
No final do tempo das ilusões,
dos medos.
Quem dera agora!
Cuidado, não se apresse,
disse a mim mesma.
Mas, indômita, a espada desceu:
Ante
Cessaram-se perguntas.
Vislumbrei lá no fundo:
Ante a morte, nada há a temer.

Morgana Gazel



8 comentários:

Luciano disse...

Magnifico! Eloquente! Limpido!

Su Palanti disse...

Nada é insignificante
Tudo é significante
Na vida, cante!
Ai Morgana! Que poema lindo!
Bjusss

Miguel Martins De Menezes disse...

Gostei imenso Morgana Gazel, o difícil é escrever simples, privilegiar a ideia em vez da vaidade humana, manipular a palavra para "desenhar" a imagem sem a destruir.

Ana Maria Rosa disse...

Gosto imenso desse teu poema, Morgana! Tenho fascinação por metalinguagem e adorei essa depuração dos significados do signo "insignificante". No final, a morte - a Senhora do Mundo - encerrando tudo porque diante dela não há mais nada a fazer...

Helmo disse...

Gostei Morgana Gazel, muito tocante, escrito com "gana" por uma "áz" em desbravamento. Senti-me um talvez "ficante" extasiado.

Roberto Leal disse...

Entao cante Morgana Gazel para nos deliciar, na mais pura poesia...

Josane Mary disse...

Olá, Morgana!
Parabéns pelo novo visual do seu cantinho virutal!
Será uma alegria se visitar o meu.

Grande abraço daqui da Holanda,
Saudações Literárias!

Josane Mary
http://josanemary.wordpress.com/

Eliane Accioly disse...

Nossa, adorei o poema, e "insignificante " é tanto! Nossa insegurança transformada em descobertas. Li seu recado às rebrinehas, e adorei comentar comigo "A quarta neta". E nos identificarmos como mulheres, e como avós. a neta caçula é a Amanda!!!!!!!!! Um foguete, Amandita, pois é madrilenha. O blog está lindo, parabéns! Bjs de blogueira amiga e fã.